Padre Joseph Damien

Por Davi Lago

Em sua obra O Cristo Incomparável, John Stott conta a história do belga Joseph Damien, um piedoso padre católico romano que ajudou leprosos no Havaí em meados do século 19.

Em 1863, o Padre Damien chegou ao Havaí e ficou horrorizado com a situação das vítimas da lepra: elas eram banidas permanentemente na ilha de Molokai. Ali, aqueles enfermos sofriam uma existência miserável na doença, imundície e pobreza.

Stott afirma que:

Padre Damien apresentou-se como voluntário para viver entre eles. Sepultava-lhes os mortos. Levava-lhes higiene. Construía igrejas e capelas, limpava reservatórios de água, consertava as casas e o hospital, construiu um orfanato, ensaiava o coral e servia-lhes de professor, carpinteiro, pedreiro, sacerdote e amigo. Seu ministério altruísta continuou por dezesseis anos até que certa manhã de domingo em 1885, durante o culto na igreja, a congregação ficou atônita quando começou o sermão com as palavras: “Nós, os leprosos…”, indicando que ele próprio havia contraído a doença. Damien morreu em Molokai em 1889.

Comments are closed.